12/05/15

Oficina aborda cobertura jornalística do trabalho escravo em Cuiabá

POST-PROGRAMAÇÃO (2)

Evento é uma iniciativa do Projeto Ação Integrada para capacitar profissionais de comunicação

Nos últimos cinco anos, o Projeto Ação Integrada identificou em Mato Grosso mais de 1,6 mil trabalhadores resgatados da condição de escravidão ou em situação de vulnerabilidade social.  Chamado de “ciclo da escravidão”, o processo que leva homens e mulheres a serem submetidos a péssimas condições de vida no ambiente de trabalho merece cuidado ao ser abordado pela imprensa. Responsável pela reinserção de 473 trabalhadores egressos do trabalho escravo ou em situação de vulnerabilidade, no período de 2009 a 2014 em Mato Grosso, o Projeto Ação Integrada (PAI) realiza nesta quarta-feira (13) a Oficina de Capacitação para Imprensa “Trabalho Escravo”, cujo objetivo é conceituar a cobertura jornalística dada ao assunto pela mídia local. A ação é uma parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Para o oficial de Projeto do Programa de Combate ao Trabalho Escravo da OIT no Brasil, Antônio Carlos de Mello, alinhar conceitos, princípios e significados do trabalho escravo entre jornalistas e comunicadores é de extrema importância para a produção de conteúdos qualificados relativos ao tema. O representante da OIT veio para Cuiabá para participar da Oficina, que contará ainda com a presença do jornalista especializado em direitos humanos Marques Casara e o Procurador do Trabalho no Estado, Renan Bernardi Kalil.

“Pelo seu tamanho e dimensão de Mato Grosso, a fiscalização dessas atividades é muito difícil. Por isso, o trabalho da imprensa tem muita importância, e deve ser cada vez mais qualificado”, destacou Mello.

Dedicada aos profissionais da Comunicação, a Oficina acontece a partir das 19h, na A Casa do Parque, em Cuiabá.

Fonte: Pau e Prosa Comunicação

Comentários